Programação Outubro!

Sessões de Terça à Domingo

Confira na Imagem:

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII
De 08 a 16 de JUNHO de 2018

ATENÇÃO:

MELHORES DA MOSTRA DIAS
20, 23 E 30/JUNHO. VENHAM!

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII
Av .Teixeira de Castro 157 – Bonsucesso RJ/RJ:

A MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL tem sido desde 2010 a única mostra do Estado do Rio de Janeiro dedicada exclusivamente a FILMES brasileiros sobre temas indígenas. Sempre priorizando O FILME DE FICÇÃO E DE ANIMAÇÃO FEITO PARA SALAS DE CINEMA (e também exibindo DOCUMENTÁRIOS, assim como videofilmes realizados por indígenas e alunos do ensino público). Realizada no Microcine Bonsucesso, do Ponto de Cultura Cinema Brasil, apresenta para a sua SEXTA Edição sempre com o principal objetivo de promover a disseminação e o fortalecimento das culturas e tradições indígenas. A proposta é trazer para alunos da Região da Leopoldina, e de todo o Rio de Janeiro por extensão, o que tem sido feito na área audiovisual, as tendências e as questões sócio-culturais que estão sendo levantadas. Faz-se necessário destacar a importância de tal projeto no âmbito escolar para fazer valer a legislação vigente, Lei nº 11.645/2008, que torna obrigatório incluir no currículo da rede de ensino a temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Neste ano de 2018 teremos o longa premiado “O EX-PAJÉ”, de Luiz Bolognesi, “MARTÍRIO”, de Vincent Carelli e outros. Veja programação no site.
BREVE HISTÓRICO
Na Mostra Cine Índio de 2010 (a primeira), exibimos “TAINÁ 2″, de Mauro Lima, no ano de lançamento.
Na Mostra Cine Índio II, exibimos a ficção “A NOITE POR TESTEMUNHA”, de Bruno Torres, uma dramatização do incêndio de um índio num ponto de ônibus, história que gerou muito debate na época.
Na Mostra Cine Índio III/2012 exibimos “XINGU”, ficção de Cao Hamburger, dias após o lançamento do filme no circuito comercial e “HIPERMULHERES”, de Takumã Kuikuro, antes do lançamento.
Na Mostra Cine Índio IV, exibimos o filme leve de ficção “TAINÁ 3 – A ORIGEM”, de Rosane Svartman (com a presença da diretora), quase que simultaneamente ao lançamento nos cinemas.
Na Mostra Cine Índio IV, exibimos o filme leve de ficção “TAINÁ 3 – A ORIGEM”, de Rosane Svartman (com a presença da diretora), quase que simultaneamente ao lançamento nos cinemas.
Na Mostra Cine Índio Brasil V, de maio de 2014, exibimos em Full-HD o filme “UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA”, de Luiz Bolognesi, ANIMAÇÃO (lançado em 2014, Melhor filme do Festival Annecy na França no ano anterior).
Na Mostra Cine Índio Brasil VI, de maio de 2015, exibimos o filme “ENCANTADOS”, de Tizuka Yamasaki, INÉDITO, com lançamento apenas previsto, e que estrearia nos cinemas anos depois.
Em 2016 tivemos a edição VII, com pouquíssimos recursos, e no ano de 2017, a mostra precisou parar.
Nesta Mostra Cine Índio Brasil VIII, da RETOMADA do sonho, estamos exibindo o longa em lançamento nacional “EX-PAJÉ”, de Luiz Bolognesi, ganhador do prêmio de público no Festival de Berlim. E também MARTÍRIO, de Vincent Carelli e outros (ver Folder), que foi lançado recentemente.
Também exibimos, ao longo desses anos, ficções clássicas, de homenagem, como “HANS STADEN”, de Luiz Alberto Pereira, e “O GUARANI” de Norma Bengell. Exibimos por exemplo nestas mostras diversas ANIMAÇÕES, a citar “O CURUPIRA”, “PAJERAMA”, “MITOS DO MUNDO – Como Surgiu a Noite”, “TAINÁ-KAN, A Grande Estrela”, várias.
São só exemplos para ilustrar como os cineastas indígenas e os não indígenas mas dedicados ao tema indígena tem prestigiado esta Mostra de Filmes desde 2010.
E, para citar alguns nomes que estiveram debatendo os filmes, vieram lideranças indígenas como X’Mayá Kaká Fulni-Ô (Mostra I e V), José Urutau Guajajara (Mostras II, III, IV e V), Carlos Tukano (II e III), Garapirá Pataxó e Vangri Kaigang (Mostra III e IV), Namara Gurupy (IV e V), Daniel Puri (IV), Anapuáka Muniz Tupinambá (III), o cineasta Takumã Kuikuro (III e V), a Cacique Maria Valdelice-Jamapoty Tupinambá (III), Toby Itauna (IV), a artesã Twry Pataxó da ONG Mães da Maré (III, IV e V), a cineasta Zahy Guajajara (V), o líder Araçari Pataxó (V), Potira Guajajara (Mostras II, III, IV, VI, VII) , a cineasta Tizuka Yamasaki (VI), vários nomes.

Uma das questões mais atuais AINDA é a insistência dos deputados federais em tentar aprovar uma emenda à Constituição (proposta que até 2015 tinha o número PEC 215 mas já mudou para confundir) passando aos deputados o poder sobre as demarcações. Das mais de 300 reservas indígenas demarcadas pelo governo, apenas 5 foram por propostas pelo poder Legislativo. E o número de titulações de terras indígenas pelo poder Executivo também vem caindo de governo para governo, desde o governo Collor. Mas entregar a decisão ao Poder Legislativo é pior, porque os deputados e senadores, pelo menos os que estão lá hoje, são a maior fonte de PRESSÃO para que o Poder Executivo não aprove novas demarcações. Apesar de todas as queixas que existem sobre o atual sistema de demarcações, entregá-lo ao Congresso e sua enorme bancada ruralista tem sido para os indígenas um nó na garganta, motivo de pesadelos e também de disposição à luta, nas terras e lá em Brasília. MAS SUCEDEU-SE UMA NOVIDADE. QUAL FOI?

Desde 2015 entretanto veio crescendo uma tendência. E hoje muitas aldeias indígenas tomaram uma DECISÃO: eles próprios vão DEMARCAR suas terras, num ato de AUTODEMARCAÇÃO e daí para a frente, impedir o avanço de fazendeiros e usineiros sobre os limites demarcados pelos próprios indígenas.
Esta decisão é fruto da ausência de Políticas Públicas, cada vez mais evidente, para sistematizar e pacificar as demarcações necessárias e historicamente justas. Afinal os indígenas são povos originários do Brasil.
Foram convidadas lideranças indígenas e autoridades para o debate. São esperadas importantes presenças como as dos cineastas indígenas Lucas Benite e Alberto Álvares, e outras presenças garantidas como a do líder José Urutau Guajajara, consultor temático desta edição da mostra.

Como em todos os anos, antes dos filmes, haverá em alguns dias apresentações artísticas indígenas enriquecendo a vivência dos participantes no ambiente, decorado com elementos indígenas, artesanatos, tecidos, pinturas em rostos e braços, cocares multicores, colares multicontas, música e Cinema.
Como nas edições anteriores, este ano a MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII, fará uma homenagem a um cineasta brasileiro dedicado à causa indígena. Neste ano, nosso homenageado será Luiz Roberto Bolognesi, diretor do EX-PAJÉ e também em anos recentes do UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA.
O espaço é garantido igualmente para vídeos feitos por indígenas. Confiram na programação.

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII
MICROCINE BONSUCESSO – FUTURO CINECARIOCA
Endereço: Av. Teixeira de Castro, 157 – Bonsucesso – Rio de Janeiro – RJ
Telefone: (21) 2290-4593

http://facebook.com/mostracineindio

PROGRAMAÇÃO COMPLETA em: http://www.microcine.com.br/mostracineindio/

Vídeos de mostras anteriores em http://www.youtube.com/user/microcineBR
Vejam a PROGRAMAÇÃO DE 2018, e também fotos/textos de outras mostras Cine Índio:

http://www.microcine.com.br/mostracineindio

Cliquem na aba “Como chegar” para o mapa e dicas de ônibus, metrô, etc.

Realização:
FIBRA CINE VÍDEO –
INSTITUTO CULTURAL CINEMA BRASIL

Apoios:
CTAV – Centro Tecnológico do Audiovisual (workshop de desenho animado temático)
Museu do Índio/FUNAI (peças indígenas para ambientação temática)

PATROCÍNIO
Distribuidora de Filmes SA-RIOFILME

PROGRAMAÇÃO COMPLETA
MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII

TEMA CENTRAL: “Luta pelos Direitos Indígenas nos próximos anos”
_________________________________________________________

08/06/2018 – Sexta-feira

13:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:00 – ABERTURA OFICIAL DA MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII
Fala de patrocinador e convidados / Apresentação Artística indígena

14:30 – PARA ONDE FORAM AS ANDORINHAS? de Mari Corrêa, 21 min

14:50 – EX-PAJÉ, de Luiz Bolognesi, 81 min, Livre LANÇAMENTO 2018

16:15 a 16:45 – Mesa de Debate – Tema: “Decisão Indígena pela Autodemarcação de Terras”
Com Mestre José Urutau Guajajara e convidados.

_______________________________________

09/06 – Sábado

14:30 – KONÃGXEKA – O Dilúvio Maxakali, de Charles Bicalho, Isael Maxakali ,13 min, Livre

15: 00 – TEKOHA – Mulheres Indígenas: Lutas e Retomadas, de Nós Madalenas, 21 minutos, Livre

15:30 – URUTAU – 513 anos em 3 dias, de Yussef Kalume, 90 minutos Livre

17:20 a 18:00 – DEBATE com a presença de URUTAU Guajajara o personagem do filme do dia.

_______________________________________

10/06 – Domingo

15:00 – KONÃGXEKA – O Dilúvio Maxakali, de Charles Bicalho, Isael Maxakali ,13 min, Livre

15:30 – ARANDU ETÉ, de Lucas Benite, 30 min, Livre

16:00 – GUARDIÕES DA MEMÓRIA, de Alberto Álvares, 55 min

17:00 – ÍNDIOS NO PODER, de Rodrigo Arajeju, 20min

17:20 a 17:50 – Debate após os filmes com os cineastas indígenas Lucas Benite e Alberto Álvares

________________________________________

11/06 – Segunda-feira (de 11 a 15/6 a programação da manhã é igual a da tarde)

13:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:00 – ÍNDIOS NO PODER, de Rodrigo Arajeju, 20min

14:20 – AUTODEMARCAÇÃO Daje Kapap Eypi, de Mulheres Munduruku, 11 min, Livre

14:30 – ESTADO DE EXCEÇÃO, de Jason O´Hara, coprodução Brasil/Canadá, 90 min, Livre

16:10 – 16:45 – Debate após filmes
_______________________________________

12/06 – Terça-feira

13:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:00 – KONÃGXEKA – O Dilúvio Maxakali, de Charles Bicalho, Isael Maxakali ,13 min, Livre

14:20 – URUTAU – A Resistência da Árvore, de Yussef Kalume, 90 minutos Livre

16:25 a 17:00 – Debate com a presença de URUTAU Guajajara o personagem do filme do dia.

________________________________________

13/06 – Quarta-feira

13:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:00 – ARANDU ETÉ, de Lucas Benite, 30 min, Livre

14:30 – UMA HISTÓRIA DE AMOR E FÚRIA, animação de Luís Bolognesi, 90 min, Livre
Longa de Homenagem ao diretor do EX-PAJÉ, 2018, premiado em Berlim

16:10 – 16:50 – Debate após os filmes

_______________________________________

14/06 – Quinta-feira

13:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:00 – KONÃGXEKA – O Dilúvio Maxakali, de Charles Bicalho, Isael Maxakali ,13 min, Livre

14:15 – AUTODEMARCAÇÃO Daje Kapap Eypi, de Mulheres Munduruku, 11 min, Livre

14:30 – ESTADO DE EXCEÇÃO, de Jason O´Hara, coprodução Brasil/Canadá, 90 min, Livre

16:10 – 16:45 – Debate após filmes
________________________________________

15/06 – Sexta-feira

14:00 – Cadastramento – Exposição Temática

14:15 – KONÃGXEKA – O Dilúvio Maxakali, de Charles Bicalho, Isael Maxakali ,13 min, Livre

14:30 – PARA ONDE FORAM AS ANDORINHAS? De Mari Corrêa, 21 min

14:50 – EX-PAJÉ, de Luiz Bollognesi, 81 min, Livre LANÇAMENTO 2018

16:15 a 16:45 – Debate após filmes
_____________________________________________________

16/06 – Sábado

14:00 – ENCERRAMENTO OFICIAL DA MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VIII
Fala de organizadores e convidados / Apresentação Artística indígena / Vinheta da Mostra

14:30 – AUTODEMARCAÇÃO Daje Kapap Eypi, de Mulheres Munduruku, 11 min, Livre

14:45 – MARTÍRIO, De Tatiana Almeida, Ernesto de Carvalho e Vincent Carelli, 160m, 14 anos.

17:15 a 17:45 – Mesa de Debate – Tema: Futuro dos Povos Indígenas: Muita Luta.

_________________________________________________

TEREMOS AINDA COMO EXTENSÃO DA MOSTRA:
CURSO CTAV ANIMAÇÃO – DE 18 A 23/06 14-16H
DIAS MELHORES DA MOSTRA:
QUARTA-FEIRA 20/6 8-16H
SÁBADO 23/6 DE 14-16H
SÁBADO 30/6 DE 14-16H

______________________________________

Acompanhe pelo facebook a página do evento:
https://www.facebook.com/events/334093057119136/
Ou na PÁGINA Mostra Cine Índio Brasil deste site:
PÁGINA Mostra Cine Índio Brasil


MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VII
Maio 2016 – não houve atualização de página


MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VI
De 29 de Maio de 2015 a 06/06/2015

Única Mostra no Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura indígena, neste ano, traz as mais recentes produções nacionais sobre o tema.
Confira na programação completa em
http://www.microcine.com.br/mostracineindio/6/e-folder.jpg

MOSTRA OLHOS NEGROS VII

VAI ATÉ 05/12 – esperamos vocês. HOJE TEM, vejam:

PROGRAMAÇÃO COMPLETA
MOSTRA OLHOS NEGROS VII
MULHERES NEGRAS ATRIZES E DIRETORAS DE CINEMA BRASILEIRAS
De 27 de Novembro a 05 de dezembro de 2015
Av.Teixeira de Castro, 157 Bonsucesso/RJ/RJ

Dia 27/11 – SEXTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – Abertura Oficial da Mostra, Vinheta da Mostra

14:30h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015
Estrelado por LÉA GARCIA

15:00h – AMOR MALDITO, de Adélia Sampaio, 76 min, 14 anos, 1984.
A PRIMEIRA MULHER NEGRA BRASILEIRA DIRETORA DE CINEMA

16:16h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 28/11 – SÁBADO

14:00h – Recepção – Cadastramento – Pipoca Grátis

15:00h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015
Estrelado por LÉA GARCIA

15:30h – HEITOR, CARIOCA DOS PRAZERES de Tatyana Prazeres, 14 min, Livre, 2014

16:00h – MULHERES DO BRASIL, de Malu de Martino, 113 min, 16 anos, 2015
estrelado por ROBERTA RODRIGUES, CAMILA PITANGA, DIRA PAES

18:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 30/11 – SEGUNDA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – ENTRÓPICOS, de Tainá Rei, 6 min, 12 anos, 2015

14:10h – KBELA, de Yasmin Thainá, 6 min, Livre, 2015

14:20h – QUAL A COR DA MINHA PELE? de Maria Gal, 7 min, Livre, 2011

14:30h – MULHERES DE BARRO, de Edileuza Penha de Souza , 26 min, Livre, 2015

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 01/12 – TERÇA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – JUREMA , de Clementino Junior, 16 min, Livre, 2014

14:20 – ÔRI, de Raquel Gerber , 100 minutos, 12 anos, 1989
Escrito e Narrado por Maria Beatriz do Nascimento

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 02/12 – QUARTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – LÁPIS DE COR, de Larissa Fulana de Tal, 14 minutos, Livre, 2015

14:30h –GURUFIM DA MANGUEIRA, de Ana Danddara, 26min, Livre, 2000
com THALMA DE FREITAS

15:00h –CINEMA DE PRETO, de Ana Danddara, 11 min, Livre, 2004

15:30h – A VOZ DOS QUILOMBOS, de Lelette Coutto, 22 min, Livre, 2008.

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 03/12 – QUINTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – KBELA, deYasmin Thayná, 6 min, Livre, 2015

14:10h – LÁPIS DE COR, de Larissa Fulana de Tal, 14 minutos, Livre, 2015

14:30 h – CINZAS, de Larissa Fulano de Tal, 15 min, Livre 2014

15:00h – MULHERES DE BARRO, de Edileuza Penha de Souza , 26 min, Livre, 2015

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 04/12 – SEXTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h –EU TENHO A PALAVRA, de Lilian Solá Santiago, 26 min, Livre, 2010

14:30h – AMOR MALDITO, de Adélia Sampaio, 76 min, 14 anos, 1984.
A primeira mulher negra brasileira diretora de cinema,

16:00 – Debate entre a diretora ADÉLIA SAMPAIO, convidados e plateia.

DIA 05/12 – SÁBADO

14:00h – Recepção – Cadastramento

14:30h – ENCERRAMENTO OFICIAL DA MOSTRA E PIPOCA GRÁTIS

15:00h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015 em FULL-HD
Estrelado por LÉA GARCIA

15:30h – HISTÓRIA DE IAIÁ, trailer de 1 min, de Reinaldo Sant’anna
Voz de Cândida Lopes Amorim, Cantora Alexandra Silva

16:00h – CONFLITOS E ABISMOS , de Everlane Moraes, 15 minutos, Livre, 2014

16:15h – MARIA NACIONAL, de Erica Sansil, 2 min, Livre, 2015

17:00h – A BONECA E O SILÊNCIO, de Carol Rodrigues, 19 min, Livre, 2015

17:20 – O CHEIRO DA FEIJOADA, de Iléa Ferraz, 20 min, Livre,

18:00h – Debate após os filmes, entre o cineasta Reynaldo Sant’Anna e a plateia

MOSTRA OLHOS NEGROS VII
MULHERES NEGRAS BRASILEIRAS ATRIZES E DIRETORAS DE CINEMA
De 27 de Novembro a 05 de dezembro de 2015
Av.Teixeira de Castro, 157 Bonsucesso/RJ/RJ

A Mostra Olhos Negros, em sua sétima edição com este nome (desde 2009, porque em 2007 abriu como “Quinzena da Consciência Negra” do Microcine CinemaBrasil), realiza-se na base da “guerrilha”, sem qualquer patrocínio, mas contando com a presença de todos.

A Mulher Brasileira, independente de cor, só dirigiu filme a partir de 1930. A pioneira foi Cleo de Verberena, e o filme foi “O Mistério do Dominó Preto”. Ou seja 32 anos depois que as primeiras imagens foram produzidas no Brasil (oficialmente em 1898, embora haja quem diga que foi em 1897). Também por volta de 1930, as primeiras mulheres brasileiras ganhavam o direito de votar e ser votadas para presidente e parlamentar. Em 1927 no Rio Grande do Norte, e em 1932 no resto do Brasil.

Mesmo para o homem brasileiro, levaria mais de meio século após aquelas primeiras filmagens de 19 de junho de 1898 pelo ítalo-brasileiro Afonso Segreto, até que um negro dirigisse um filme: José Cajado Filho com “ESTOU AÍ?” lançado em 1949.

Desde a criação do TEN, Teatro Experimental do Negro (fundado por Abdias Nascimento em 1944), as mulheres e os homens negros ganharam projeção no teatro, que dificilmente escolhia atores negros. O exemplo mais citado é a peça “Forrobodó”, de 1912, que usava atrizes brancas pintadas de preto representando personagens negras.

No mundo todo, aquelas primeiras décadas do século vinte, no teatro e no cinema foram injustas com atores afrodescendentes. O exemplo mais citado é de um protagonista negro, representado por um ator branco pintado de preto em “O CANTOR DE JAZZ”, EUA, 1927.

Do fim da década de 1940, início da de 1950 em diante, no cinema brasileiro as personagens negras eram representadas por mulheres negras, como quando Ruth de Souza, que ganhou projeção com o TEN, faz Júlia em “Falta Alguém no Manicômio” de 1948, e que ganharia prêmio internacional de melhor atriz do filme “Sinhá Moça” de 1955. Como quando Léa Garcia, atriz que surgiu aos 16 anos com o TEN, fez “Orfeu do Carnaval”, de 1959, premiado em Cannes. Como em ASSALTO AO TREM PAGADOR de 1962, quando Ruth de Souza trabalhou com outra atriz que entraria para a História, Chica Xavier, e no qual a atriz também negra Luiza Maranhão teve protagonismo após a morte de Tião Medonho, seu marido no filme.

Na TV, inaugurada em 1950 por Assis Chateaubriand, que esteve na liderança com sua TV TUPI até 1965, quando entra em cena a TV da família Marinho, a personagem negra era muito estigmatizada, e muitas vezes representada, como nas novelas baseadas em Jorge Amado, por atriz branca. Não era privilégio das mulheres, pois o protagonista negro da novela “A CABANA DO PAI TOMÁS” foi feito por um ator branco com a cara pintada de preto, novela da Globo concluída em 1970!

Em 1974, o teatrólogo e ativista Ubirajara Fidalgo criava o Teatro Profissional do Negro, TEPRON, com propósito semelhante ao do pioneiro TEN (então já extinto) de valorizar atores e atrizes negros, e desta vez também priorizar temas acerca da luta política de negros e negras por direitos iguais na sociedade. Após 1978 com a fundação do Movimento Negro, muitas mulheres foram por décadas convocadas para editar, roteirizar, fazer a produção. Em que momento, em que filme, surge a PRIMEIRA MULHER NEGRA BRASILEIRA DIRETORA DE CINEMA?

A importante ativista do movimento negro, Maria Beatriz do Nascimento, fez roteiro e narração do documentário de longa metragem “ÔRI”, filme de referência para a diáspora no Brasil, mas que foi dirigido pela branca Raquel Gerber em 1989.

Encontramos o curta-metragem “DENÚNCIA VAZIA”, de 1979, dirigido por uma mulher negra, já com experiência como roteirista e assistente de arte, a mesma cineasta do longa-metragem “AMOR MALDITO”, de 1984: Adélia Ferreira Sampaio. É considerada a pioneira, a PRIMEIRA MULHER NEGRA CINEASTA, Adelia Sampaio, ativista durante a ditadura militar.

Mais de 80 anos depois daquelas primeiras imagens do cinema brasileiro produzidas por um homem branco. Mais de 30 anos depois do primeiro filme dirigido por um homem negro. A vez da mulher negra comandar o show chegou.

Com a chamada “Retomada do Cinema Brasileiro”, no final do século XX, várias mulheres diretoras surgiram, mas não temos dados de mulheres assumidamente negras na direção. No último ano do século, surge Ana Danddara com seu curta-metragem “GURUFIM DA MANGUEIRA”, produzido em 2000. Dirigiria depois também “CINEMA DE PRETO” em 2004.

No século XXI, com a presença maior das mulheres nas universidades, e na última década com presença maior de negros e negras nas faculdades de cinema, surge uma geração de Mulheres Negras cineastas. A maioria dirigindo curtas. Uma nos cativou: a cineasta Edileuza Penha de Souza, Doutora em Educação pela UNB, que escreveu a palestra “Mulheres Negras no Cinema Brasileiro – estratégias de afeto, amor e identidade” em 2008 e dirigiu “MULHERES DE BARRO”, em 2015.

Falta muito. No mundo, ainda nos dias de hoje, pouco mais de 16% dos filmes são dirigidos por mulheres de todas as cores

A MOSTRA OLHOS NEGROS VII, em 2015, é dedicada às mulheres negras e seu protagonismo na cinema brasileiro. Homenageará a pioneira cineasta, Adelia Sampaio, e reverencia as três grandes atrizes do cinema brasileiro, Léa Garcia (em “Um Dia de Jerusa”), Ruth de Souza (em “Assalto ao Trem Pagador”, exibição na vinheta da Mostra, com ela e Luiza Maranhão) e Chica Xavier (em “Jurema”). Contará com outros filmes, da nova geração de mulheres negras brasileiras e cineastas, como a Viviane Ferreira de “UM DIA DE JERUSA”, filme que teve destaque no festival de Cannes, como a Yasmin Thayná do “KBELA”, filme de destaque nos festivais brasileiros, assim como a premiada Everlane Moraes de “CONFLITOS E ABISMOS”, que ganhou bolsa para estudar em Cuba.

Vejam todos os filmes na Programação Completa. Entretanto são apenas alguns filmes. A Mostra OLHOS NEGROS VII será mais um grande “PARABÉNS!” a todas as atrizes, técnicas e diretoras de cinema que venceram o RACISMO e o MACHISMO, e imprimiram seus talentos e suas personalidades em vários filmes do nosso país.

FLYER:
https://facebook.com/chibataofilme/photos/a.514070268748808.1073741826.514070218748813/551413791681122

Forte Abraço,

Marcos Manhães Marins
Coordenador da Mostra desde 2007
Diretor do filme “Memórias da Chibata” e do Doc “Cem Anos Sem Chibata”.
http://www.facebook.com/mostraolhosnegros (curtam a página para receber novidades)
EVENTO
http://www.facebook.com/events/1647868288805094/

http://www.microcine.com.br/mostraolhosnegros

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VI

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL VI
De 29 de Maio de 2015 a 06/06/2015

Única Mostra no Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura indígena, neste ano, traz as mais recentes produções nacionais sobre o tema.
Confira na programação completa em
http://www.microcine.com.br/mostracineindio/6/e-folder.jpg

CONFIRME SUA PRESENÇA NA PÁGINA DO EVENTO:
https://www.facebook.com/events/1464405167185052/

SE VOCÊ É OU TEM UM AMIGO OU PARENTE QUE SEJA
Aluno de escola pública, morador da região da Leopoldina, entre 13 e 19 anos
faça sua inscrição para o
CURSO GRATUITO DE DESENHO ANIMADO CONVÊNIO MOSTRA E CTAV
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=26

CURTA A PÁGINA DA MOSTRA, MAIS DE 2 MIL PESSOAS JÁ CURTIRAM:
http://www.facebook.com/mostracineindio

VEJA MAIS SOBRE A SEXTA EDIÇÃO EM:
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=535

HOJE 23/5 ABERTURA DA MOSTRA CINE ÍNDIO V

Destaque para o premiado longa de animação “Uma História de Amor e Fúria” de Luis Bolognesi. Haverá antes apresentação artística de grupo da etnia FULNI-Ô. As inscrições para o Workshop de Desenho Animado CTAv-ICCB terminam nesta sexta no Local, Avenida Teixeira de Castro 157 – Microcine Bonsucesso. A mostra é ambientada em meio a peças e fotos do Museu do Índio. Mesa de debates com a presença da atriz e roteirista Zahy Guajajara. Realização ICCB-Instituto Cultural Cinema Brasil e FIBRA Cine Vídeo. Compartilhe e venha!

INSCRIÇÕES PARA O WORKSHOP:
Mora na Região da Leopoldina, tem entre 16 e 29 anos, vocação para desenhar, está disponível de 23 a 31 de Maio? INSCREVA-SE para o workshop gratuito de DESENHO ANIMADO da parceria CTAV-ICCB durante a MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL V. As inscrições precisam ser feitas no local, Avenida Teixeira de Castro 157, Bonsuceso – Rio de Janeiro/RJ.
Mais informações sobre o workshop:
http://www.microcine.com.br/mostracineindio/5/workshop.doc
ou
Para maiores informações sobre programação, etc, clique na aba acima CINE ÍNDIO.

MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL V

Abertura da mostra dia 23/05/2014. Todos estão convidados!

Convite da mostra em PDF

PARA VER A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA 2014 CLIQUE NA ABA “CINE ÍNDIO” acima.

Programação dia 15 de Março de 2014

Versão PDF da programação

CINE FÉRIAS 4 – 22/02 a 01/03/2014

Vinheta Mostra Olhos Negros V

MOSTRA OLHOS NEGROS V – Programação e convite

Programação da MOSTRA OLHOS NEGROS V
Tema desta edição: “Afrobrasileiros: diversas histórias de um povo”

DIA 22/11/2013 – Sexta-feira

13:00 – Recepção – Cadastramento – Pipoca Grátis
Inscrições para oficina de audiovisual e produção de curta com tema afrobrasileiro

14:00 – ABERTURA OFICIAL DA MOSTRA
Homenagens a convidados especiais – Vinheta da Mostra – Apresentação artística

14:15 – O COZINHEIRO NEGRO de Eduardo Kishmoto, 15 min (Livre)
14:30 – Apresentação artística afrobrasileira
15:00 – CIDADE DE DEUS 10 ANOS DEPOIS
de Luciano Vidigal e Cavi Borges, 70 min (10 anos) FILME NOVO 2013

16:15 – Debate após os filmes com cineastas e convidados

16:40 – Coquetel e degustação

17:00 – FAROESTE CABOCLO de René Sampaio, 99 minutos (16 anos) Novo 2013

DIA 23/11 – Sábado

14:00h – Recepção. Cadastramento. convidados especiais – Vinheta da Mostra – Apresentação Artística

15:00 – OLHOS NEGROS de Marcelo Pimenta, 27 min
É PRA PIRÁ-JÁ, de Jorge Baía, 5 min (Livre)
JONAS, SÓ MAIS UM? de Jeferson De, 13 min (10 anos)
16:00 – A BATALHA DOS PASSINHOS de Emílio Domingos, 77 min – 2012 (LIVRE)

17:20 – Debate após a exibição do filme com os cineastas presentes

18:00 – FAROESTE CABOCLO de René Sampaio, 99 minutos (16 anos) Novo 2013

DIA 25/11 – Segunda-feira

14:00 – MEMÓRIAS DA CHIBATA, 15min (10 anos)
14:15 – RAÇA de Joel Zito Araújo, 104min (12 anos) 2012

16:15 – MESA DE DEBATES – Tema: Histórias de cada origem. Negros brasileiros: muitos artistas, cientistas e heróis.
Com a presença dos cineastas e convidados

DIA 26/11 – Terça-feira

14:15 – CONTOS DA MARÉ de Douglas Soares, 15 min – 2013 (Livre)
14:30 – ABDIAS NASCIMENTO – MEMÓRIA NEGRA de Antonio Olavo, 95 min (Livre)

16:15 Debate

DIA 27/11 – Quarta-feira

14:15 – A CONDIÇÃO HUMANA de Flávio Leandro, 12 min (Livre)

14:30 – É PRA PIRÁ-JÁ, de Jorge Baía, 5 min (Livre)

14:40 – CASAS MARCADAS de Adriana Barradas, Alessandra Schimite, Ana Clara Chequetti e Carlos Moreira Beto, Éthel Oliveira e Juliette Lizeray, 10 min (Livre) 2013

14:50 – HISTÓRIAS DE ARCANJO de Guilherme Azevedo, 84 min (16 anos) 2013

16:15 Debate

28/11 – Quinta-feira

SESSÃO DIREITOS HUMANOS 1
14:00 – CAIXA D´ÁGUA – QUI-LOMBO É ESSE? de Everlane Moraes, 15 min (Livre) 2013
14:15 – MALUNGUINHO de Felipe Peres Carneiro, 15 min (Livre) 2013
15:00 – DOMÉSTICA de Gabriel Mascaro. 75 min (Livre) 2013

16:15 Debate

29/11 – Sexta-feira

SESSÃO NEGRO É SAÚDE

14:15 – DISCRIMINAÇÃO NÃO É LEGAL! de Daniel Caetano. 20 minutos (Livre)
14:45 – QUANDO O CRIOULO DANÇA? de Dilma Lóes, 28 min (Livre)
15:15 – DOENÇAS NEGLIGENCIADAS de Marco Antônio Campos, 53 min (Livre)

16:15 – MESA DE DEBATE – Tema: a Cultura de um país como fator determinante da Saúde de seu povo.  Avanços nos 10 anos da Lei que obriga África nas Escolas

30/11 – Sábado

14:00– Homenagens a convidados especiais – Vinheta da Mostra – Apresentação Artística
16:00 – O COZINHEIRO NEGRO de Eduardo Kishimoto, 15 min (Livre)
16:15 – MWANY HOYO HOYO de Nivaldo Vasconcelos, 19 min – 2013 (LIVRE)
16:30 – CIDADE DE DEUS 10 ANOS DEPOIS de Luciano Vidigal e Cavi Borges, 70 min (10 anos) FILME NOVO 2013

17:30 – Debate

18:00 – DOMÉSTICA de Gabriel Mascaro. 75 min (Livre) 2013

DIA 02/12 – Segunda-feira

14:15 – CAIXA D´ÁGUA – QUI-LOMBO É ESSE? de Everlane Moraes, 15 min (Livre) 2013
14:30 – JONAS, SÓ MAIS UM de Jeferson De, 13 min (10 anos)
14:45 – “ANJO DE CHOCOLATE”, de Clementino Junior, 83min – 2013 (LIVRE)

16:15 – Debate após a sessão com a presença do cineasta e convidados

DIA 03/12 – Terça-feira

14:15 – PEDRAS PRETAS – ITAÚNAS DE SÃO BENEDITO E SÃO SEBASTIÃO
de Marcos Valério Guimarães, 25 min – 2012 (Livre)
14:45 – FAROESTE CABOCLO de René Sampaio, 99 minutos (16 anos) Novo 2013

16:15 – Debate

DIA 04/12 – Quarta-feira

14:10 – PELE NEGRA MÁSCARA BRANCA de Conrado Krainer, 19 min (Livre)
14:30 – ALFORRIA DA PERCEPÇAO de Paulo Genestreti, 15 min (Livre)
15:00 – CEM ANOS SEM CHIBATA de Marcos Manhães Marins, 53 min (Livre)

16:15 Debate

DIA 05/12 – Quinta-feira

SESSÃO DIREITOS HUMANOS 2
14:00 – JONAS, SÓ MAIS UM de Jeferson De, 13 min (10 anos)
14:15 – MENINO JOEL de Max Gaggino, 70 min (10 anos)

16:15 – MESA DE DEBATE – Tema: Extermínio da juventude negra e os jovens criadores negros

17:00 – EU VOS DECLARO de Alberto Pereira Jr, 40 min (14 anos)

DIA 06/12 – Sexta-feira

14:00 – A CONDIÇÃO HUMANA de Flavio Leandro, 12 min (Livre)
14:15 – PAZ NO MUNDO CAMARÁ, de Carem Abreu e Jorge Moreno, 53 min (Livre) 2013
15:15 – MEMÓRIAS DO CATIVEIRO de Guilherme Fernandez, Isabel Castro, 42 minutos (Livre)

16:15 – Debate

DIA 07/12 – SÁBADO

14:00 – ENCERRAMENTO DA MOSTRA OLHOS NEGROS V
Homenagens a convidados especiais e apresentação artística afrobrasileira
Vinheta da Mostra – Exibição do filme produzido pelos alunos da Oficina Audiovisual temática realizada durante a Mostra

15:00 – CAIXA D´ÁGUA – QUI-LOMBO É ESSE? de Everlane Moraes, 15 min (Livre) 2013
15:30 – OLHOS NEGROS de Marcelo Pimenta, 27 min (Livre)
16:00 – MENINO JOEL de Max Gaggino, 70 min – 2013 (10 ANOS)

17:10 – Debate após os filmes, e a seguir coquetel e degustação

18:00 – HISTÓRIAS DE ARCANJO de Guilherme Azevedo, 84 min (16 anos) 2013

EM PDF

http://www.cinemabrasil.org.br/microcine/mostraolhosnegros/5/e-folder.pdf

CONVITE
http://www.cinemabrasil.org.br/microcine/mostraolhosnegros/5/e-convit.pdf

          NOSSAS MAIORES MOSTRAS DE FILMES
                     MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL
Única no Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura indígena clique para ver Mostra Cine Índio Brasil III
                            MOSTRA OLHOS NEGROS
Única do Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura negra
clique para ver Mostra Olhos Negros IV
Compartilhe na sua rede social: