Olhos Negros

MOSTRA OLHOS NEGROS VII

MULHERES NEGRAS ATRIZES E DIRETORAS DE CINEMA BRASILEIRAS
De 27 de Novembro a 05 de dezembro de 2015
Av.Teixeira de Castro, 157 Bonsucesso/RJ/RJ

Dia 27/11 – SEXTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – Abertura Oficial da Mostra, Vinheta da Mostra

14:30h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015
Estrelado por LÉA GARCIA

15:00h – AMOR MALDITO, de Adélia Sampaio, 76 min, 14 anos, 1984.
A PRIMEIRA MULHER NEGRA BRASILEIRA DIRETORA DE CINEMA

16:16h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 28/11 – SÁBADO

14:00h – Recepção – Cadastramento – Pipoca Grátis

15:00h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015
Estrelado por LÉA GARCIA

15:30h – HEITOR, CARIOCA DOS PRAZERES de Tatyana Prazeres, 14 min, Livre, 2014

16:00h – MULHERES DO BRASIL, de Malu de Martino, 113 min, 16 anos, 2015
estrelado por ROBERTA RODRIGUES, CAMILA PITANGA, DIRA PAES

18:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 30/11 – SEGUNDA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – ENTRÓPICOS, de Tainá Rei, 6 min, 12 anos, 2015

14:10h – KBELA, de Yasmin Thainá, 6 min, Livre, 2015

14:20h – QUAL A COR DA MINHA PELE? de Maria Gal, 7 min, Livre, 2011

14:30h – MULHERES DE BARRO, de Edileuza Penha de Souza , 26 min, Livre, 2015

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 01/12 – TERÇA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – JUREMA , de Clementino Junior, 16 min, Livre, 2014

14:20 – ÔRI, de Raquel Gerber , 100 minutos, 12 anos, 1989
Escrito e Narrado por Maria Beatriz do Nascimento

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 02/12 – QUARTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – LÁPIS DE COR, de Larissa Fulana de Tal, 14 minutos, Livre, 2015

14:30h –GURUFIM DA MANGUEIRA, de Ana Danddara, 26min, Livre, 2000
com THALMA DE FREITAS

15:00h –CINEMA DE PRETO, de Ana Danddara, 11 min, Livre, 2004

15:30h – A VOZ DOS QUILOMBOS, de Lelette Coutto, 22 min, Livre, 2008.

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 03/12 – QUINTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h – KBELA, deYasmin Thayná, 6 min, Livre, 2015

14:10h – LÁPIS DE COR, de Larissa Fulana de Tal, 14 minutos, Livre, 2015

14:30 h – CINZAS, de Larissa Fulano de Tal, 15 min, Livre 2014

15:00h – MULHERES DE BARRO, de Edileuza Penha de Souza , 26 min, Livre, 2015

16:00h – Debate entre convidados e plateia.

Dia 04/12 – SEXTA

13:00h – RECEPÇÃO, CADASTRAMENTO E PIPOCA GRÁTIS

14:00h –EU TENHO A PALAVRA, de Lilian Solá Santiago, 26 min, Livre, 2010

14:30h – AMOR MALDITO, de Adélia Sampaio, 76 min, 14 anos, 1984.
A primeira mulher negra brasileira diretora de cinema,

16:00 – Debate entre a diretora ADÉLIA SAMPAIO, convidados e plateia.

DIA 05/12 – SÁBADO

14:00h – Recepção – Cadastramento

14:30h – ENCERRAMENTO OFICIAL DA MOSTRA E PIPOCA GRÁTIS

15:00h – UM DIA DE JERUSA, de Viviane Ferreira, 26 min, Livre. 2015 em FULL-HD
Estrelado por LÉA GARCIA

15:30h – HISTÓRIA DE IAIÁ, trailer de 1 min, de Reinaldo Sant’anna
Voz de Cândida Lopes Amorim, Cantora Alexandra Silva

16:00h – CONFLITOS E ABISMOS , de Everlane Moraes, 15 minutos, Livre, 2014

16:15h – MARIA NACIONAL, de Erica Sansil, 2 min, Livre, 2015

17:00h – A BONECA E O SILÊNCIO, de Carol Rodrigues, 19 min, Livre, 2015

17:20 – O CHEIRO DA FEIJOADA, de Iléa Ferraz, 20 min, Livre,

18:00h – Debate após os filmes, entre o cineasta Reynaldo Sant’Anna e a plateia

MOSTRA OLHOS NEGROS VII
MULHERES NEGRAS BRASILEIRAS ATRIZES E DIRETORAS DE CINEMA
De 27 de Novembro a 05 de dezembro de 2015
Av.Teixeira de Castro, 157 Bonsucesso/RJ/RJ

A Mostra Olhos Negros, em sua sétima edição com este nome (desde 2009, porque em 2007 abriu como “Quinzena da Consciência Negra” do Microcine CinemaBrasil), realiza-se na base da “guerrilha”, sem qualquer patrocínio, mas contando com a presença de todos.

A Mulher Brasileira, independente de cor, só dirigiu filme a partir de 1930. A pioneira foi Cleo de Verberena, e o filme foi “O Mistério do Dominó Preto”. Ou seja 32 anos depois que as primeiras imagens foram produzidas no Brasil (oficialmente em 1898, embora haja quem diga que foi em 1897). Também por volta de 1930, as primeiras mulheres brasileiras ganhavam o direito de votar e ser votadas para presidente e parlamentar. Em 1927 no Rio Grande do Norte, e em 1932 no resto do Brasil.

Mesmo para o homem brasileiro, levaria mais de meio século após aquelas primeiras filmagens de 19 de junho de 1898 pelo ítalo-brasileiro Afonso Segreto, até que um negro dirigisse um filme: José Cajado Filho com “ESTOU AÍ?” lançado em 1949.

Desde a criação do TEN, Teatro Experimental do Negro (fundado por Abdias Nascimento em 1944), as mulheres e os homens negros ganharam projeção no teatro, que dificilmente escolhia atores negros. O exemplo mais citado é a peça “Forrobodó”, de 1912, que usava atrizes brancas pintadas de preto representando personagens negras.

No mundo todo, aquelas primeiras décadas do século vinte, no teatro e no cinema foram injustas com atores afrodescendentes. O exemplo mais citado é de um protagonista negro, representado por um ator branco pintado de preto em “O CANTOR DE JAZZ”, EUA, 1927.

Do fim da década de 1940, início da de 1950 em diante, no cinema brasileiro as personagens negras eram representadas por mulheres negras, como quando Ruth de Souza, que ganhou projeção com o TEN, faz Júlia em “Falta Alguém no Manicômio” de 1948, e que ganharia prêmio internacional de melhor atriz do filme “Sinhá Moça” de 1955. Como quando Léa Garcia, atriz que surgiu aos 16 anos com o TEN, fez “Orfeu do Carnaval”, de 1959, premiado em Cannes. Como em ASSALTO AO TREM PAGADOR de 1962, quando Ruth de Souza trabalhou com outra atriz que entraria para a História, Chica Xavier, e no qual a atriz também negra Luiza Maranhão teve protagonismo após a morte de Tião Medonho, seu marido no filme.

Na TV, inaugurada em 1950 por Assis Chateaubriand, que esteve na liderança com sua TV TUPI até 1965, quando entra em cena a TV da família Marinho, a personagem negra era muito estigmatizada, e muitas vezes representada, como nas novelas baseadas em Jorge Amado, por atriz branca. Não era privilégio das mulheres, pois o protagonista negro da novela “A CABANA DO PAI TOMÁS” foi feito por um ator branco com a cara pintada de preto, novela da Globo concluída em 1970!

Em 1974, o teatrólogo e ativista Ubirajara Fidalgo criava o Teatro Profissional do Negro, TEPRON, com propósito semelhante ao do pioneiro TEN (então já extinto) de valorizar atores e atrizes negros, e desta vez também priorizar temas acerca da luta política de negros e negras por direitos iguais na sociedade. Após 1978 com a fundação do Movimento Negro, muitas mulheres foram por décadas convocadas para editar, roteirizar, fazer a produção. Em que momento, em que filme, surge a PRIMEIRA MULHER NEGRA BRASILEIRA DIRETORA DE CINEMA?

A importante ativista do movimento negro, Maria Beatriz do Nascimento, fez roteiro e narração do documentário de longa metragem “ÔRI”, filme de referência para a diáspora no Brasil, mas que foi dirigido pela branca Raquel Gerber em 1989.

Encontramos o curta-metragem “DENÚNCIA VAZIA”, de 1979, dirigido por uma mulher negra, já com experiência como roteirista e assistente de arte, a mesma cineasta do longa-metragem “AMOR MALDITO”, de 1984: Adélia Ferreira Sampaio. É considerada a pioneira, a PRIMEIRA MULHER NEGRA CINEASTA, Adelia Sampaio, ativista durante a ditadura militar.

Mais de 80 anos depois daquelas primeiras imagens do cinema brasileiro produzidas por um homem branco. Mais de 30 anos depois do primeiro filme dirigido por um homem negro. A vez da mulher negra comandar o show chegou.

Com a chamada “Retomada do Cinema Brasileiro”, no final do século XX, várias mulheres diretoras surgiram, mas não temos dados de mulheres assumidamente negras na direção. No último ano do século, surge Ana Danddara com seu curta-metragem “GURUFIM DA MANGUEIRA”, produzido em 2000. Dirigiria depois também “CINEMA DE PRETO” em 2004.

No século XXI, com a presença maior das mulheres nas universidades, e na última década com presença maior de negros e negras nas faculdades de cinema, surge uma geração de Mulheres Negras cineastas. A maioria dirigindo curtas. Uma nos cativou: a cineasta Edileuza Penha de Souza, Doutora em Educação pela UNB, que escreveu a palestra “Mulheres Negras no Cinema Brasileiro – estratégias de afeto, amor e identidade” em 2008 e dirigiu “MULHERES DE BARRO”, em 2015.

Falta muito. No mundo, ainda nos dias de hoje, pouco mais de 16% dos filmes são dirigidos por mulheres de todas as cores

A MOSTRA OLHOS NEGROS VII, em 2015, é dedicada às mulheres negras e seu protagonismo na cinema brasileiro. Homenageará a pioneira cineasta, Adelia Sampaio, e reverencia as três grandes atrizes do cinema brasileiro, Léa Garcia (em “Um Dia de Jerusa”), Ruth de Souza (em “Assalto ao Trem Pagador”, exibição na vinheta da Mostra, com ela e Luiza Maranhão) e Chica Xavier (em “Jurema”). Contará com outros filmes, da nova geração de mulheres negras brasileiras e cineastas, como a Viviane Ferreira de “UM DIA DE JERUSA”, filme que teve destaque no festival de Cannes, como a Yasmin Thayná do “KBELA”, filme de destaque nos festivais brasileiros, assim como a premiada Everlane Moraes de “CONFLITOS E ABISMOS”, que ganhou bolsa para estudar em Cuba.

Vejam todos os filmes na Programação Completa. Entretanto são apenas alguns filmes. A Mostra OLHOS NEGROS VII será mais um grande “PARABÉNS!” a todas as atrizes, técnicas e diretoras de cinema que venceram o RACISMO e o MACHISMO, e imprimiram seus talentos e suas personalidades em vários filmes do nosso país.

FLYER:
https://facebook.com/chibataofilme/photos/a.514070268748808.1073741826.514070218748813/551413791681122

Forte Abraço,

Marcos Manhães Marins
Coordenador da Mostra desde 2007
Diretor do filme “Memórias da Chibata” e do Doc “Cem Anos Sem Chibata”.
http://www.facebook.com/mostraolhosnegros (curtam a página para receber novidades)
EVENTO
http://www.facebook.com/events/1647868288805094/

http://www.microcine.com.br/mostraolhosnegros

VINHETA DA MOSTRA OLHOS NEGROS IV

Mostra OLHOS NEGROS IV

(Sexta edição da Quinzena da Consciência Negra no Instituto Cultural Cinema Brasil)

AGRADECEMOS A EFETIVA PRESENÇA NO EVENTO DE 2012 DE:

MARCELO DIAS – Superintendente da Igualdade Racial (SUPIR – SEASDH – RJ)
MIRO NUNES – membro da COJIRA (Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial)
LÚCIO HEREDOM – advogado do EDUCRAFO, enviado pelo FREI DAVID.
ANTONIO PITANGA – ator e diretor
WALDIR ONOFRE – ator e diretor
JOEL ZITO ARAÚJO -  diretor
CARLOS MAIA (Nego Maia) – ator e diretor
EDNÉA GOMES RUBIM – cineasta e membro da ONG ESTIMATIVA
ADRIANA BAPTISTA – jornalista e editora de diversos blogs e revistas étnicas
DJALMA SANTOS – membro do COMDEDINE
MESTRE HUK e grupo de capoeira, maculelê e samba de roda (na Abertura)
MESTRA MUCAMA e grupo de jovens de 8 a 14 anos (no Encerramento)
DELANIR DIAS CERQUEIRA – ator e diretor (CULTNE – 100 anos de Abolição)
RAFAEL SANTOS (ex-Afro-Reggae, especialista na ANCINE),
TITO ALMEJEIRAS (pele escura, latino) – ator no filme QUILOMBO de Cacá.

Se esquecemos alguém é porque não se identificou. Foram muitos negros e negras
(e brancos, e índios, e mestiços vários), além destes convidados especiais acima.

A neta  de JORGE  AMADO,  Cecília Amado,  diretora  do filme  CAPITÃES DA AREIA,
baseado na  obra de seu avô, esteve presente à mostra, debatendo com o público.
img_2201-30img_2131-30
Ver no final links para os principais dias do evento, abertura, encerramento, etc.

E COMO FOI O TEMA E A PROGRAMAÇÃO?

Tema Central: “Adolescentes negros construindo o Futuro”

A primeira quinzena da Consciência Negra do Ponto de Cultura Cinema Brasil ocorreu em novembro de 2007, com a presença de Léa Garcia e de filmes como Filhas do Vento, de Joel Zito Araújo. Em 2009 rebatizou-se como Mostra Olhos Negros.

A Mostra Olhos Negros III de novembro de 2011 contou com mesas de debate consistentes com participação do Mestre e Babalawo Ivanir dos Santos, do Músico e Dramaturgo Spirito Santo, do Escritor e Crítico de Cinema João Carlos Rodrigues (autor do livro “O Negro no Cinema Brasileiro”), dos cineastas Wavá de Carvalho, Carlos Maia, Clementino Júnior (que participou com filmes, da curadoria e ministrou 2 workshops temáticos). Exibiu filmes como Bróder, do cineasta negro Jeferson De, como Besouro, do cineasta branco João Daniel Tikhomiroff, foram exibidos em Full-HD, 4000 lumens, som Dolby 5.1, tela grande e ar refrigerado. Na Mostra Olhos Negros IV em 2012, estão sendo trazidos mais filmes faróis para o campo da reflexão. Veja Programação no final.

Além de valorizar o debate após as exibições, e de exibir de forma eclética os bons filmes sobre a temática negra de quaisquer diretores, independentemente de sua cor de pele, em 2012, há tanto filmes que tiveram espaço nos cinemas comerciais quanto filmes que foram feitos por cineastas jovens nas comunidades.

Autores negros geraram ótimas obras audiovisuais, como O Triste Fim de Policarpo Quaresma, escrita por Lima Barreto. Autores brancos geraram ótimas obras audiovisuais como Xica da Silva e Ganga Zumba (além de Carlota Joaquina), todos escritas por João Felício dos Santos. Frantz Fanon, um dos maiores pensadores do posicionamento dos negros frente aos brancos e vice-versa disse em seu livro “Pele Negra: Máscaras Brancas”: “esta obra é um estudo clínico. Acredito que aqueles que com ela se identificarem terão dado um passo à frente. Quero sinceramente levar meu irmão negro ou branco a sacudir energicamente o lamentável uniforme tecido durante séculos de incompreensão”. Fanon falou isso na década de 1960 quando Lula era um adolescente aqui no Brasil, e Barack Obama, um guri no Havaí. Mas parece que poucos professores e pais leram os livros de Fanon, e mesmo com uma Lei Federal obrigando a inclusão da cultura afrobrasileira no currículo escolar, pouco tem sido feito neste sentido.

O que aprendemos na Escola sobre os reis do Congo, as rainhas da Nigéria? O que nossos jovens de hoje em dia sabem da realeza e dos costumes da África? Da cultura Bantu e de tantas outras que influenciaram a nossa? Inclusive das culturas que influenciaram a cultura africana, lá, através dos vários séculos de invasões e colonizações que tentaram sufocar costumes e religiosidades tradicionais?

É nesta missão que a MOSTRA OLHOS NEGROS se inseriu. Assim como tem percebido que também há os que cometem equívocos, seja pelo racismo ou pelo auto-racismo de autores tanto como o branco e eugenista Monteiro Lobato, quanto o negro que não se aceitava negro, Machado de Assis. O debate ocorre após a exibição do filme que provoque a reflexão sobre determinado tema.

Como nas demais edições, o Ponto de Cultura Cinema Brasil está oferecendo Apresentações Artísticas antes das sessões de abertura e encerramento e no dia de Zumbi.

Para encerrar, um pouco mais do Frantz Fanon: “Impossível ir ao cinema sem me encontrar. Espero por mim. No intervalo, antes do filme, espero por mim. Aqueles que estão diante de mim me olham, me espionam, me esperam [...] Ontem, abrindo os olhos ao mundo, vi o céu se contorcer de lado a lado. Quis me levantar, mas um silêncio sem vísceras atirou sobre mim suas asas paralisadas. Irresponsável, a cavalo entre o Nada e o Infinito, comecei a chorar”. Salve o negro Fanon. Salve João Cândido, líder negro da Revolta que pôs fim à Chibata na Marinha Brasileira. Salve a luta ainda atual, constante e incansável dos irmãos brancos e negros, pela construção de um futuro de igualdade racial e compreensão.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:
DIA 16/11/2012 – SEXTA-FEIRA
13:00 – Cadastramento – Inscrições para
2 oficinas de Contrarregra audiovisual com tema afrobrasileiro, por Delanir Cerqueira.

14:00 – ABERTURA OFICIAL DA MOSTRA
Homenagens – Vinheta
14:30 – FURICO E FIOFÓ, de Fernando Miller, 8 min (12 Anos)
O DESPEJO OU…MEMÓRIAS DA GABIRU, de Sergio Glenes, 7 min (10 anos)
15:00 – 5X PACIFICAÇÃO, de Luciano Vidigal, Rodrigo Felha, Cadu Barcellos e Wagner Novais, 96 min (10 Anos)
PROJEÇÃO EM FULL-HD
17:00 – DIA DE PRETO, de Marcial Renato, Daniel Mattos e Marcos Felipe, 85 min (14 Anos) FULL-HD
18:30 – MESA DE DEBATE – Tema 1: Os Jovens Negros e a Construção do Futuro
Diretores dos filmes e convidados.

DIA 17/11 – SÁBADO
08:45 – Oficina de Contrarregra temática de 6h
14:00 – Cadastramento
15:00 – RAZ, de André Lavaquial, 20 min (12 Anos)
15:20 – Vídeo dos alunos da Oficina dada na Mostra.
16:00 – 5 x FAVELA, AGORA POR NÓS MESMOS, de Cacau Amaral,
Cadu Barcellos, Luciana Bezerra, Manaira Carneiro, Rodrigo Felha, Wagner Novais e Luciano Vidigal, 96 min (14 anos)
Debate com os diretores do filme
17:00 (Sala 2) – RAÇA HUMANA, de Dulce Queiroz, 40 min (10 anos)
17:40 – MESA DE DEBATE – Tema 2: Cotas Raciais – Sim, mas até quando?
18:00 – SENHOR DO LABIRINTO, de Geraldo Motta Filho e Gisella de Mello, 80 min,(14 Anos) FULL HD
Debate com os diretores do filme.

DIA 19/11 – SEGUNDA-FEIRA
08:45 – Início da segunda oficina temática, de 5 dias
13:00 – Cadastramento(todo dia de semana)
14:00 – TAMBOR DE CRIOULA, de Delanir Cerqueira, 17 min (Livre)
14:00 – ÔRÍ, de Raquel Gerber, 100 Min (12 Anos)

DIA 20/11 – TERÇA-FEIRA
14:00 – Apresentação Artística
14:30 – QUILOMBO, de Carlos Diegues, 119 min (10 anos)
16:30 – ALMA NO OLHO, de Zózimo Bulbul, 12 min (10 Anos)
16:42 – DIA DE PRETO, de Marcial Renato, Daniel Mattos e Marcos Felipe, 85 min (14 Anos)
18:12 – MESA DE DEBATE – Tema 3:Cinema negro feito por cineastas de qualquer etnia
19:00 – Degustação de comidas típicas grátis

DIA 21/11 – QUARTA-FEIRA
14:00 – JUÍZO, de Maria Augusta Ramos, 90 min (10 anos)
15:30 – DADÁ, de Eduardo Vaisman, 20 min (10 Anos)
15:50 – RAZ, de André Lavaquial, 20 min (12 Anos)

DIA 22/11 – QUINTA-FEIRA (Homenagem a João Cândido)
14:00 – MEMORIAS DA CHIBATA, de Marcos Manhães Marins, 15 min (Livre)
14:20 – CEM ANOS SEM CHIBATA, de Marcos Manhães Marins, 52 min (12 Anos)
15:20 – Debate sobre a Revolta da Chibata com a presença do diretor

DIA 23/11 – SEXTA-FEIRA
14:00 – FALCÃO – MENINOS DO TRÁFICO, de MVBill e Celso Athayde, 58 min (14 anos)
15:00 – DISTRAÍDA PARA A MORTE, de Jefferson De, 14 min (12 anos)
15:15 – AUTOESTIMA – Ednéa Rubim, 12 min, (Livre)
15:30 – VISTA A MINHA PELE, de Joel Zito de Araújo, 15 min (Livre)
15:45 – MESA DE DEBATE – Tema 1: “Os Jovens negros e a construção do futuro”

DIA 24/11 – SÁBADO
14:00 – Vídeo da oficina dada na Mostra
14:30 – Curtas de animação das oficinas da Olhos Negros III
15:00 – O DESPEJO OU…MEMÓRIAS DA GABIRU, de Sergio Glenes, 7 min (12 anos) e
O XADREZ DAS CORES, de Marco Schiavon, 22 min (10 anos)
16:00 – CAPITÃES DA AREIA, de Cecilia Amado e Guy Gonçalves, 90 min (16 Anos)
17:00 – (sala 2) A LUTA CONTINUA, de Delanir Cerqueira, 37 min (10 Anos)
RAÇA HUMANA, de Dulce Queiroz, 40 min (10 anos)
18:17 – Debate COTAS RACIAIS.
18:00 – JARDIM DAS FOLHAS SAGRADAS, de Pola Ribeiro, 90 min (14 anos)

DIA 26/11 – SEGUNDA-FEIRA
14:00 – O COMPRADOR DE PROMESSAS, de Pedro Bento, com Carlos Maia, 8 min (Livre)
14:10 – O CONTADOR DE HISTÓRIAS. de Luiz Villaça, 100 min (12 Anos)
15:50 – Debate com a presença do diretor do curta-metragem

DIA 27/11 – TERÇA-FEIRA
14:00 – FURICO E FIOFÓ, de Fernando Miller, 8 min (10 Anos)
14:10 – O SACI, de Rodolfo Nanni, 65 min (10 anos)
15:15 – VISTA A MINHA PELE, de Joel Zito de Araújo, 15 min (10 anos)
15:30 – MESA DE DEBATE – Tema 4:Monteiro lobato, entre censurar e adotar

DIA 28/11 – QUARTA-FEIRA
14:00 – DADÁ, de Eduardo Vaisman, 20 min (14 Anos)
14:30 – 5X FAVELA, AGORA POR NOS MESMOS, de Cacau Amaral, Cadu Barcellos,Luciana Bezerra, Manaira Carneiro,Rodrigo Felha, Wagner Novais e Luciano Vidigal, 96 min (14 anos)

DIA 29/11 – QUINTA-FEIRA

14:00 – NEGUINHO E KIKA, de Luciano Vidigal, 18 min (14 Anos)
14:30 – 5X PACIFICAÇÃO, de Luciano Vidigal, Rodrigo Felha, Cadu Barcellos e Wagner Novais, 96 min (10 Anos)
16:00 – O XADREZ DAS CORES, de Marco Schiavon, 22 min (10 anos)
Debate com diretores e atores.

DIA 30/11 – SEXTA-FEIRA
14:00 – ALMA NO OLHO, de Zózimo Bulbul, 12 min (10 Anos)
14:15 – AS AVENTURAS AMOROSAS DE UM PADEIRO, de Waldir Onofre, 1975, 95 min (14 Anos)
15:00h – HOMENAGEM AOS DIRETORES PIONEIROS WALDIR ONOFRE E ANTÔNIO PITANGA.
15:30 – NA BOCA DO MUNDO, de Antonio Pitanga, 1978, 106 min (14 Anos)
17:30 – MESA DE DEBATE – Tema 5: Os primeiros cineastas negros

ENCERRAMENTO DA MOSTRA dia 01/12 às 14:00h
Homenagens a convidados especiais
15:00: Curtas 10 CENTAVOS, de César Fernando de Oliveira, 19 min (Livre)
APOCALIPSE NO ALEMÃO, de Alberto Dias, 6 min (Livre)
16:00 CAPITÃES DA AREIA, de Cecilia Amado e Guy Gonçalves, 90 min (14 Anos)
Debate com os diretores.
17:00 – (Sala 2) NEGUINHO E KIKA de Luciano Vidigal, 18 min (14 Anos)
18:00 – SENHOR DO LABIRINTO, de Geraldo Motta e Gisella de Mello, 88 min, (14 Anos)

SITE: http://www.microcine.com.br

Apoios:
Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro/SEC-RJ – Convênio
Fibra Cine Vídeo, produtora audiovisual parceira do Ponto

PONTO DE CULTURA CINEMA BRASIL
MICROCINE CINEMABRASIL DE BONSUCESSO
Av. Teixeira de Castro, 157
Bonsucesso
Rio de Janeiro
Telefone (21) 2290-4593

VER TAMBÉM

FANPAGE: http://facebook.com/mostraolhosnegros

EVENTO: http://facebook.com/events/266234520161475/

ABERTURA
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=915

O DIA A DIA
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=947

HOMENAGEM
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=957

ENCERRAMENTO
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=962

MELHORES DA MOSTRA
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=981

FOTOS DA MOSTRA
http://cinemabrasil.uni5.net/microcinewp/?page_id=16

DIVULGAÇÃO NO SITE DA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA
http://www.cultura.rj.gov.br/evento/mostra-olhos-negros-iv

DIVULGAÇÃO NO SITE DO MINISTÉRIO DA CULTURA
http://www2.cultura.gov.br/site/2012/11/12/festival-de-cinema-olhos-negros-comeca-na-sexta/

HOMENAGEM AOS CINEASTAS NEGROS PIONEIROS

MOSTRA OLHOS NEGROS IV NA TV BRASIL

          NOSSAS MAIORES MOSTRAS DE FILMES
                     MOSTRA CINE ÍNDIO BRASIL
Única no Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura indígena clique para ver Mostra Cine Índio Brasil III
                            MOSTRA OLHOS NEGROS
Única do Estado do Rio de Janeiro dedicada a filmes brasileiros sobre a cultura negra
clique para ver Mostra Olhos Negros IV
Compartilhe na sua rede social: